A complexidade do cérebro – design admitido


O volume Como o Cérebro Funciona, parte da “Série Mais Ciência”, da Publifolha, explica como o cérebro pode dar sentido ao mundo que nos cerca. Num trecho do livro, está escrito: “Vamos examinar o seu cérebro. Apenas retire-o de sua cabeça e o coloque sobre a mesa. Provavelmente ele é um pouco mais pesado do que você imaginava. Seu 1,4 kg corresponderia a uma grande sacola de maçãs. Parece também surpreendentemente pequeno: mais ou menos do tamanho de suas duas mãos fechadas, pressionadas uma contra a outra. Lá está ele sobre a mesa, enrugado como uma noz, exibindo uma cor rosada. (Sim, rosada. Ele se torna cinza se ficar mergulhado em conservante.)

O cérebro já está começando a desmanchar, enquanto um fluido transparente escorre de seu interior. Temos de concordar: não é uma visão agradável. Mesmo assim, a ‘coisa’ para a qual você está olhando agora é o objeto mais complexo que o homem conhece. Dentro dessa massa aparentemente grosseira e disforme há o maior projeto de design já visto.”

Você prestou atenção à parte grifada no texto? Isso mesmo. Mesmo em livros não-criacionistas é difícil para seus autores fugir da constatação de que a complexidade da vida aponta para um projeto inteligente. Se há design é porque há um designer.

O texto do livro prossegue sob o subtítulo “Um projeto complexo”: “Um cérebro humano tem aproximadamente 100 bilhões de neurônios, células nervosas cerebrais. Cada um desses neurônios pode fazer entre mil e várias centenas de milhares de sinapses. Uma sinapse é a junção entre dois neurônios. Logo, o seu cérebro é capaz de produzir cerca de 1.000 trilhões de conexões. … Os próprios neurônios compõem apenas uma fração do cérebro. Ele também contém células gliais, células comuns que realizam tarefas de apoio, transporte, crescimento e manutenção interna. Há cerca de 50 delas para cada neurônio. Portanto, quase metade do cérebro é constituída de substância branca, o chamado cabeamento principal com isolamento de mielina, usado para transportar sinais. … Se a substância branca de um único cérebro humano fosse desenrolada, formaria um cordão longo o suficiente para dar duas voltas ao redor do globo terrestre. Então, imagine só… Tudo isso, os neurônios e as suas conexões, as células de apoio, o cabeamento, fica emaranhado dentro de seu crânio. Quando está ligado e consciente, o circuito gelatinoso se agita em um tráfego de pensamentos, impressões, anseios, conflitos, preocupações, curiosidades e intenções.”

Como escreveu o astrônomo Carl Sagan, no livro Cosmos, “o cérebro é um lugar muito grande num espaço muito pequeno… A neuroquímica do cérebro é extremamente ativa. É o circuito de uma máquina mais maravilhosa do que qualquer uma que o ser humano já tenha visto”. E Sagan era ateu…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: http://michelsondigitais.blogspot.com/2008/02/complexidade-do-crebro-design-admitido.html

 

Michelson Borges é jornalista, membro da Sociedade Criacionista Brasileira (www.scb.org.br) e autor dos livros A História da Vida e Por Que Creio (www.cpb.com.br).

 

by Luiz Pinheiro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s