Muitas pessoas se dizem descontentes com seu trabalho atual. Não à toa, estudos indicam que 45% dos profissionais brasileiros estão dispostos a mudar de emprego. No entanto, quando conseguem fazer essa transição, na maior parte dos casos, em pouquíssimo tempo, voltam a ficar frustrados. O motivo para isso? É necessário fazer um planejamento adequado para conseguir e se manter no emprego dos sonhos.
A consultora especializada em carreira Erika Andersen, autora de diversos livros sobre o assunto, dá três dicas, em seu blog na revista Forbes, para fazer essa mudança de carreira e não se sentir frustrado no final do caminho:

Dica 1: Tenha objetivos razoáveis
O profissional precisa entender exatamente o que o inspira e qual o trabalho que pode dar mais prazer no futuro para definir um emprego ideal. “E você precisa ser realista em seus objetivos: se sua ambição é tornar-se um astrofísico e você já está formado em uma universidade e não tem qualquer afinidade com ciências, esta não é uma aspiração razoável”, exemplifica.

Ela aconselha que as pessoas pensem na carreira baseadas nos conhecimentos que já possuem, experiências e interesses, além de, obviamente, descobrirem ser têm os recursos necessários para trabalhar na área desejada.

“Foque no que você gostaria realmente de fazer e que acha ser possível”, pontua a especialista, aconselhando que o profissional escreva suas principais conclusões e, a partir daí, trace um plano de ação para atingir seus objetivos, em determinado tempo. “Se seu objetivo vai depender de voltar para a faculdade ou ganhar muito mais experiência profissional, pense em algo de longo prazo. Já se você quiser fazer um simples avanço em sua carreira atual, seu tempo para atingir o objetivo pode ser mais curto”, exemplifica.

Dica 2: Seja honesto sobre os obstáculos
Depois de ter uma clara ideia de qual a carreira que gostaria de seguir e quanto tempo vai ser necessário para atingir o trabalho dos sonhos, se prepare para as barreiras que podem surgir no caminho. “Eu sugiro que você enxergue obstáculos de mercado e pessoais”, cita a especialista.

Entre os exemplos de situações que precisam ser analisadas, ela destaca que o profissional deve enxergar se a cidade em que mora tem espaço para a carreira que quer seguir; se está disposto a abrir mão de parte do salário atual para entrar em uma nova área; se vai ter dificuldade para aprender novas coisas que serão fundamentais na área que pretende seguir, entre outros.

Dica 3: Organize o plano de ação e vá à luta
Após entender exatamente o que quer fazer e quais os obstáculos vai enfrentar pela frente, o profissional deve detalhar todos os esforços que serão necessários, na ordem correta, para atingir os objetivos.

“Por exemplo, se você descobre que precisa buscar conhecimentos adicionais [para atingir o emprego dos sonhos] deve traçar um plano de ação específico para isso, em ordem cronológica”, afirma Erika. Como exemplo, ela cita que o profissional em questão pode traçar uma ação em quatro passos: 1. falar com as pessoas no mercado para entender o que elas pensam que é mais importante em termos de conhecimento e formação; 2. pesquisar os cursos específicos; 3. definir quais são as opções razoáveis em termos de tempo e dinheiro; 4. determinar a melhor opção.

A especialista conclui dizendo que a decisão de definir os rumos da própria carreira serve como um estímulo para qualquer profissional. “Minha experiência é que muitas coisas boas se seguem a isso: mais energia, aumento da auto-confiança, moral elevada e uma excelente sensação de sucesso”, finaliza.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: <http://olhardigital.uol.com.br/negocios/digital_news/noticias/como_construir_a_carreira_dos_sonhos>

 

 

by Luiz Pinheiro

Anúncios